129º Jantar de Amizade UNICEPE

Fwd: 129º Jantar de Amizade UNICEPECara Associada:

Caro Associado:

Não perca o nosso Jantar de Amizade UNICEPE antes de férias, dia 10, quarta-feira, às 19h45. Rara oportunidade de conversar com Adão e Eva!

Adão Cruz

Médico cardiologista.

Ex-Assistente Graduado em Chefe de Serviço Hospitalar.

Médico na guerra colonial da Guiné.

Natural de Vale de Cambra – Portugal.

Escreve desde jovem e pinta desde a década de oitenta.

Tem nove livros publicados, quatro deles álbuns de pintura.

Vem referido e comentado na Parte II, Vol. V, da enciclopédia “O Mundo Fascinante da Medicina”, ilustrando os seus quadros outros volumes, nomeadamente uma boa parte do Volume II da mesma Parte II.

Fez várias exposições, individuais e coletivas, em Portugal e estrangeiro.

Tem quadros em sete países.

 

Eva CruzNasceu em 1942 no lugar das Figueiras, Vale de Cambra.

Licenciou-se em Filologia Germânica na Universidade de Coimbra e exerceu a profissão de professora durante trinta e seis anos.

No início da sua carreira profissional foi correspondente/tradutora numa empresa nacional e numa empresa suíça. Fez formação no país, na Inglaterra, Alemanha e Suíça alemã.

No ensino exerceu cargos de direção e cargos pedagógicos. Esteve ligada à Formação de Professores durante doze anos. Foi dirigente sindical. Escreveu para jornais de escola, regionais e outros, nomeadamente A Página da Educação.

Publicou em 2004 o livro Era uma vez, Future Kids, em 2006 Aurora Adormecida, em 2010 Era uma vez em Outubro e em 2012 Corconte.

 

Difícil escolher amostra para dar ideia da dimensão poética dos nossos convidados.

Que homem já não sacrificou alguns minutos, escolhendo uma fila mais demorada, só para ser atendido por uma conhecida que o costuma prender com aquele “contentamento descontente”?

É o que tão bem Adão nos diz, homenageando a mulher trabalhadora, neste seu A mulher que amanha o peixe: http://estrolabio.blogs.sapo.pt/1436671.html

E os meus 26 meses de serviço militar em Angola permitem-me considerar Guiné-Irkutsk um dos mais admiráveis poemas de guerra: http://jardimdasdelicias.blogs.sapo.pt/182865.html

Quanto a Eva, temos, por exemplo:

Aquela janelaAi se eu soubesse pintar

pintava aquela janela

com cortinas brancas bordadas

aquela janela a rir

com o sol da Primavera

enfeitada de glicínias

brancas e lilases

de lírios roxos e amarelos

os primeiros do jardim.

Aquela janela ao rubro

com o sol de Verão

cortinado de luas e estrelas

um balão de S. João

de todas as cores

ramalhos

das cascatas e o cheirinho

a  manjerico.

Aquela janela

enfeitada

de anjinhos papudos

e o Pai-Natal

pregado no cortinado.

O azevinho na jarra

com bolinhas vermelhas

as pinhas dos abetos

abraçadas às hidrângeas

colhidas no Outono.

Aquela janela

com as cores dos poentes outonais

laranja e róseos, intensos e pálidos

cores do sol que se despede.

Ai se eu soubesse pintar

pintava aquela janela

com as cores de todas as cores

e nela desenhava

uma velhinha

sentada no sofá

à espera que a vida passe.

De costas para a janela

por onde a vida passou

e a deixou parada

na contemplação da alvorada

 

sem cor.Ai se eu soubesse pintar

pintava aquela janela

com o sol de todas as cores

e não pintava a madrugada.

Pintei uma árvore

de braços abertos

e vesti-a de folhas e flores.

Veio então um passarinho

de muitas cores

e nela fez um ninho

entre as flores.

Reguei-a de ternura

e com tal jeito

que me nasceu um poema

dentro do peito.

A árvore pediu-me

p’ra ser árvore a sério

e eu disse que sim.

Seja qual for o mistério

é hoje a mais linda

do meu jardim.

É uma casa grande

tem dentro o mundo

em recantos de lenda

e história.

Alma de poetas.

Retratos e santos

recordações de vida

por todos os cantos…

Livros nas paredes

o seu melhor recheio

quadros a saber a poesia

e o vento que agita a figueira

a entrar pelas portas adentro.

Música de um bandolim adormecido…

Levanta o pó

descobre Marx, Brecht

e Nietsche.

 

O vento da históriaacorda a memória

aconchegada ao canto da lareira.

É uma casa grande

com escadas

onde se brinca às escondidas

e as crianças inventam anjos

pelos cantos…

Gostam da casa

correm-na a rir

sem medos de partir

o que por lá há.

É uma casa grande

tem dentro o mundo

onde só vale

a alma do que lá está.

Poetas do trigo repartido

Sementes de água

gotas de trigo no chão duro

cresce o pão mal repartido.

Ergue-se o punho erguido

de Homens Inteiros

poetas do trigo

na fome da Revolução.

Ceifeira da noite

com medo do dia

semeia a morte

mais pobre a seara.

Ceifeiras do dia

foices vermelhas

cantares de esperança

não deixam a morte

matar a seara.

Sementes de água

gotas de trigo

não morre a seara

não morrem os Homens

os Homens Inteiros

poetas do trigo repartido.

Ementa: sopa de legumes, saladas variadas, Bacalhau com natas, Tripas à moda do Porto, sobremesas variadas, águas, vinho verde branco Arca Nova Loureiro, vinho maduro branco e tinto Herdade do Penedo Gordo (Alentejo), refrigerantes, cerveja, vinho do Porto POÇAS. Preço: 15,00 €

Inscrições para Unicepe@net.novis.pt até ao fim do dia 9. Mas, quanto antes melhor.

Como de costume, pelas 21h30, entrada livre.

Traz outro amigo também!

Cordiais saudações cooperativistas,

Rui Vaz Pinto
Presidente da Direção
UNICEPE – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, CRL – no 50º ano de atividade!
Praça de Carlos Alberto, 128-A
4050-159 PORTO
Telefone (351) 222 056 660

www.unicepe.pt

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s