Livro de Pedro Baptista conta a história da primeira faculdade de letras da U.Porto

O Milagre da Quinta Amarela_capaFoi na Quinta Amarela, no Porto, que funcionou a primeira faculdade de Letras da Universidade do Porto, durante grande parte da sua curta mas produtiva existência, de 1919 a 1931. Em pouco mais de dez anos, em condições materiais precárias, alvo de inúmeras e acesas críticas, a instituição produziu uma enorme riqueza intelectual, traduzida nas atividades desenvolvidas e na excelência dos seus protagonistas. Por isso, Pedro Baptista apelida de “O Milagre da Quinta Amarela” no livro que dedica à história da instituição. A obra da sua autoria intitula-se “O Milagre da Quinta Amarela – História da Primeira Faculdade de Letras da Universidade do Porto (1919-1931)”, e vai ser apresentada no próximo dia 27 de março, na Reitoria da Universidade do Porto, por Arnaldo Pinho, professor jubilado da Universidade Católica.

 

 

A obra promove a compreensão do processo de fundação da Primeira Faculdade de Letras, traçando igualmente os perfis biográficos de alguns dos seus alunos e professores mais ilustres, personalidades que se distinguiram pela excelência em diferentes ramos das ciências sociais e humanas. Fundada por Leonardo Coimbra, contando com professores tão ilustres como Augusto Ferreira Nobre, Damião Peres, Newton de Macedo, Francisco Torrinha, Magalhães Basto ou Mendes Correia, e estudantes como Adolfo Casais Monteiro, Agostinho da Silva, Delfim Santos e Sant’Anna Dionísio, entre outros, a primeira Faculdade de Letras deixou um duradouro legado de vitalidade intelectual e académica que Pedro Baptista regista neste livro. Simultaneamente, a obra possibilita um melhor entendimento do complexo contexto político e social das primeiras décadas do século XX português. Foi editada no âmbito das Comemorações do Centenário da Universidade do Porto, nas quais se procurou celebrar e valorizar o passado da instituição, nomeadamente através da edição de um conjunto de livros que versam diferentes aspetos da sua história.

 

Pedro Baptista nasceu em Nevogilde, Porto, em 1948. Licenciado e doutorado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, é investigador de mobilidade externo no Instituto de Filosofia desta Faculdade. Publicou Ao Encontro do Halley (ensaio, 1987), Sporá (romance, 1992; finalista do Grande Prémio do Romance da SPE), O Cavaleiro Azul (romance, 2001), Pessoas, Animais e Outros que Tais (narrações, 2006) e Centenário do Gabiru (estudo, 2007). É autor ainda de diversas comunicações no campo da filosofia. Politicamente ativo, foi dirigente estudantil de 1968 a 1971, cofundador de O Grito do Povo em 1971, preso político e deportado em 1973 e deputado socialista à Assembleia da República, eleito pelo Porto, entre 1995 e 1999.

 

A sessão de apresentação realiza-se pelas 19h00, na sala da Biblioteca do edifício da Reitoria da Universidade do Porto, sita na Praça Gomes Teixeira, no Porto. A entrada é livre.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s