A próxima Roda de Choro na Unicepe!

Cara Associada:

Caro Associado:

 

Na próxima quarta-feira, dia 19, teremos a 8ª sessão da RODA DE CHORO, até às 24h, sem formalismos, como já dito, com entrada/saída livre nos intervalos das canções. (http://unicepe.pt/choro/choro.html).

Desta vez, pelas 21h, antes do Choro, o Professor Pires Laranjeira (http://unicepe.pt/jantares/jantares/101_jantar/101_jantar.html) apresentar-nos-á, brevemente, 3 professores:

Antónia Manuela Miguelito Domingos, natural de Cacuso, Município da Província de Malanje, nascida a 28 de Agosto de 1970. Professora Licenciada no Curso do 1º Ciclo de Ensino Básico, pela Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra. Mestre em Ciências da Educação, na área de Especialização em Educação e Desenvolvimento Social, pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, onde defendeu a presente dissertação, sob o título, “Crianças vítimas de práticas de feitiçaria”, com a qual obteve o Grau de Mestre, com a qualificação de Muito Bom.

Atualmente é Doutoranda em Literatura de Língua Portuguesa: Investigação e Ensino, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e encontra-se a desenvolver a Dissertação do Doutoramento em Literatura Africana sob o tema “A Influência do Feitiço na Oralitura e Literatura Angolana”, dos escritores Óscar Ribas, Uanhenga Xitu, Arnaldo Santos, Boaventura Cardoso, Pepetela entre outros.

 

Profissionalmente, em Luanda, já vendeu gelo e gelados, nos antigos Mercados do Quinaxixi e Roque Santeiro. Lecionou o 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico, na Escola da Boa Vista Textang, e na Escola Alda Lara. Trabalhou, com frequência, na conceção de arranjos decorativos e florais e em ornamentações cerimoniais de casamentos, batizados, aniversários, entre outros eventos. Foi voluntária no Hospital Josina Machel, por um período de três anos. Em Coimbra, trabalhou em vários restaurantes e cafés, onde foi ajudante de cozinha e empregada de balcão. Também já foi empregada de limpezas, trabalhou em lavandarias e foi voluntária em infantários.

Como Professora, lecionou em dois territórios diferentes – com paradigmas educacionais distintos –, Coimbra e Luanda. Em Coimbra, tem vindo a aprofundar com maior intensidade os modelos e métodos pedagógicos, tradicionais e modernos, os quais contribuem para o desenvolvimento de uma educação sólida e eficaz.

António de Pádua de Sousa e Silva

Nasceu no dia 08 de maio de 1961 na cidade de Inhambupe, estado da Bahia, Brasil, onde viveu até aos 15 anos de idade, mudando-se para a vizinha cidade de Alagoinhas onde cursou o Ensino Médio, mudando-se posteriormente para a capital baiana, Salvador, ali graduando-se em Letras Vernáculas no ano de 1984. Fez especialização em Literatura Brasileira na PUC de Minas Gerais, Mestrado em Literatura e Crítica Literária na PUC de São Paulo e hoje faz doutoramento em Literatura de Língua Portuguesa: Investigação e Ensino na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, sob orientação do Professor Doutor Pires Laranjeira.

Trabalhou, desde os 7 anos de idade, como feirante, balconista de farmácia, cobrador de ônibus, agente administrativo público, hoje é professor concursado de Literaturas de Língua Portuguesa na Bahia, na cidade de Barreiras, é membro fundador da Academia Barreirense de Letras, já participou de vários recitais de poesia nas ruas, nos ônibus, nas universidades, em clubes recreativos, etc.

Fez vários trabalhos como videomaker, na qualidade de assessor do poeta, jornalista, cineasta e homem de televisão Fred Souza Castro, que financiou o primeiro filme do famoso cineasta baiano Glauber Rocha, além de participar de várias bancas examinadoras de concursos públicos para professor e de defesa de trabalhos de conclusão de curso superior e de especialização.

Publicou os seguintes livros:

– Cantiga D’Amor-Menino. Ed. Cangraf – Edição do autor, 2005. 1000 exemplares. 80 p. (Poesia infanto-juvenil)

– Viagem (in)consciente através das palavras. Barreiras: 1998. 1000 exemplares. 100 p.(Coletânea de textos em prosa e verso)

– Carro de bois. Salvador: , 1985. v. 1000. 100 p. (Poesia)

– Em voo rasante. Salvador: , 1983. v. 500. 50 p. (Poesia)

– Cristãdor. Salvador: Contemp, 1981. 1000 exemplares. 150 p. (Antologia poética, vários autores)

– Movimento Poetas na Praça: uma poética de ruptura e resistência. Salvador/BA: Eduneb, 2010. (Dissertação de Mestrado)

 

Marlene Hernandez Leites é autora do livro A Questão da Raça e da Diferença. Um olhar sobre outros olhares, com 160 páginas, editada pela Nandyala, de Belo Horizonte, em 2012. Trata-se de uma tese de doutoramento sobre a raça, a identidade e a literatura negro-brasileira e a sua receção teórica por três estudiosos, o britânico David Brookshaw e os brasileiros Laura Padilha e Zilá Bernd, entre outros. O livro propõe-se discutir o conceito de raça implicado na textualidade literária, ligando essa questão ao apagamento e subalternização do negro na sociedade brasileira do século XX. Com o Presidente Lula, o racismo brasileiro foi reconhecido ao nível do Estado e foi aplicada legislação para ressarcir historicamente o negro do seu papel secundário. A tese foi defendida há 10 anos e é agora editada, num novo contexto de medidas positivamente discriminatórias. A autora é professora em Sergipe e, neste momento, é bolseira de pós-doutoramento na Univ. de Coimbra, investigando sobre literaturas africanas de língua portuguesa.

 

Participe. Divulgue. Traz outro amigo também!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s