Sobre o Porto, António Rebordão Navarro

 

“Meigas, transparentes, adejantes,

antes de os elementos

cismarem em criá-las,

já elas eram feitas

como deusas cumpridas

em fumo, mito e névoa.

 

Como estátuas fenícias?

Como estátuas”

 

António Rebordão Navarro

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s